domingo, 28 de dezembro de 2014

"E aprende que não importa o quanto você se importe, algumas pessoas simplesmente não se importam..."

E eu aprendi que pessoas que você acha que são super especias e amigas estão pouco se fudendo pra você. Aprendi que existem pessoas que não respeitam seus limites e seus passos, só olham para o seu próprio umbigo. Aprendi que tenho que cuidar melhor do meu joelho direito. Aprendi que abraços de algumas pessoas te trazem mais paz do que um ato ecumênico. Aprendi que homens sabem o que querem, moleques não. Aprendi que você pode perfeitamente viajar para um lugar sem falar muito bem a sua língua local, mas que seria muito melhor se você falasse. Aprendi que se pode viver um bom tempo sem roupas e sapatos novos, sem sair todo fim de semana, quando se tem um objetivo. Aprendi que posso consolar amigos com meu silêncio. Aprendi a ser mais calma e controlada (ou uma perfeita descontrolada!). Aprendi que as vezes preciso surtar. Aprendi que não preciso ir em determinados lugares para estar presentes em "compromissos sociais." Aprendi que arroz e feijão faz muita falta. Aprendi que a música salva. Aprendi que posso fazer muita coisa sozinha, que nasci sozinha e que vou morrer sozinha, e que nesse intervalo não posso ficar dependente de ninguém. Aprendi que a gente pode se transformar por pequenas coisas, e que existem pessoas que não se deixam mudar nem por grandes acontecimentos. Aprendi que posso ficar meses sem beber refrigerante sem sentir falta. Aprendi que quando não um não quer, dois não brigam, que estado civil não representa nada e que livros geralmente são as melhores companhias que se pode ter. Aprendi que a gente passa boa parte da vida correndo sem saber pra onde está indo e nem onde se quer chegar. Aprendi que não podemos ser dominados nem pelo medo nem pela ansiedade. E aprendi talvez uma das melhores lições... que a vida é agora, e o mínimo que eu posso fazer é viver cada segundo, intensamente.


quinta-feira, 25 de dezembro de 2014

"E assim, saltar."

Chega uma hora da nossa vida que é preciso se libertar do passado. Virar páginas já não chega a ser suficiente, é hora de rasgar, queimar, passar o papel naquelas máquinas que reduzem o papel a quase nada.
De longe você foi uma das pessoas mais importantes da minha vida, mas a situação já não pode mais ser comportada.
Eu não aguento mais, assumo. Joguei a toalha, pedi socorro.
Cansei de ser metade. Cansei de ser aquela que está ali o tempo todo esperando a próxima migalha. Sempre odiei pombos, não quero me tornar uma. Sou muito mais que isso.
E se soubesse que seria tão libertador, teria feito antes.
Fico triste as vezes, já chorei baixinho de saudades, sinto falta da companhia, mas estava insuportável.
Já passamos por tantas, e coisas tão pequenas me fizeram tomar a decisão de sumir da sua vida, como você já sumiu tantas vezes da minha.
Sumiu e voltou... e eu penso se não tivesse voltado, se a minha vida estaria diferente.
Mas não te culpo, nem me culpo, tudo serve de aprendizado.
E se a gente tiver que se reencontrar, aqui, aí, em Londres, em Bogotá que seja, não ficarei triste. Mas que seja um reencontro de corpo, alma e coração, como o nosso primeiro.


segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

"Eu Sou Minha."

Um dos assuntos comentados nessa semana que passou foi a "discussão" da Anitta com a Pitty no programa Altas Horas.

https://www.youtube.com/watch?v=v8s9PmnusZs

É feio a mulher que sai na noite e pega 50? É feio a mulher dar em cima do cara que está a fim? É feio a mulher beijar o cara primeiro? Por que? Qual é a lei, o decreto que diz isso? Está roubando? Matando? Por que a gente não pode fazer o que quer, tem sempre que estar olhando para os dois para ver se alguém está vendo, tem que sempre estar se controlando porque a vizinha, o segurança da balada, alguém pode estar pensando algo errado?
Cada um é dono de si, e se estiver com vontade e arcar com as consequencias, por que não?
Ouvi dizer que a Anitta não era exemplo, que usa roupa curta, que rebola, que mimimi. Ok, acho que ela foi infeliz com o discurso dela e também acho que algumas atitudes não condizem com o discurso moralista que ela fez, tanto é que nesse vídeo que coloquei o link, foram inseridas umas fotos dela. Mas, seu teto não é de vidro? O meu é! Quem é exemplo pra alguém?
Mulherada, quer pegar 50 na balada, pega! Quer ir pro motel na primeira noite, vá! Não quer pegar ninguém, não pegue! Quer ficar com o cara só porque ele te paga bebida e tem carro importado? Fique! Só não passe por cima do que você acha certo! Não passe por cima dos seus desejos, nem das suas vontades.
O corpo é seu, a vida é sua, não prejudique ninguém, não se prejudique, e seja feliz, seja sua, seja dona de si!


sábado, 6 de dezembro de 2014

"Eu temo o dia em que a tecnologia ultrapasse nossa interação humana, e o mundo terá uma geração de idiotas."

Em que momento as pessoas perderam o limite de usar a internet corretamente? Em que momento os smartphones, tablets e derivados ficaram mais importantes do que os amigos, a família, o namorado?
Não sou avessa a tecnologia, muito pelo contrário, uso e uso muito! Sou super ativa em facebook, twitter, instagram e etc, mas creio eu que ainda estou no limite do saudável.
Quem nunca estava na sala de espera de um médico ou num restaurante e viu uma criança com um tablet assistindo desenho e os pais dizendo "só assim ele fica quieto." Como só assim? Na minha época de criança, meu pai só olhava pra mim e eu sabia a hora de parar. Hoje em dia os pais acham normal educar seus filhos dessa forma. E pior, acham que todo mundo é obrigado a ficar escutando musiquinha de desenho e joguinhos. Colocar filho no mundo pra professor e tablet educar ta fácil né meobem?
E quando você sai com aquele amigo que fica no celular o tempo inteiro? Um inferno né! Eu pelo menos me sinto a pior pessoa, achando que o papo está chato e que o facebook ou a conversa com outra pessoa no whatsapp está muito mais interessante! Confesso que as vezes dou uma olhadinha quando estou com meus amigos, uma olhadinha, 5 minutos, o que também acho falta de educação, mas... aquela pessoa que fica o tempo inteiro não dá! A mesma forma que você está com alguém e o celular da pessoa toca e elas ficam horas e horas conversando e você olhando com cara de paisagem. É importante? Dá pra esperar? Pede licença e liga depois caralho! Hoje em dia está cada vez mais difícil você se sentir querido e especial com quem está compartilhando um simples almoço com você.
E as baladas, shows? Ao invés das pessoas curtirem o momento, dançarem, beberem com os amigos, conhecer gente nova... não! Ficam tirando foto de tudo e de todos pra postar em tempo real e dizer "To aqui!" "Oh, eu vim!" "O ingresso estava o olho da cara, mas eu vim!" Digo e repito, tenho fotos em shows, em baladas, uso redes sociais... mas o que as pessoas estão perdendo é a mão! Fui num show e teve gente que viu o show inteiro por uma telinha de celular... Eu sinceramente, nunca vi um vídeo de 2 minutos que eu tenha feito, imagina um show inteiro com imagem tremida e minha própria voz cantando... Apesar que né, aposto que tem gente que paga ingresso pra ficar parado igual poste e sem cantar a sua música preferida pra não estragar o vídeo. Tem coisa melhor do que se esgoelar em um show, levantar os bracinhos e fechar os olhos quando a música toda a sua alma? Não, não tem!
Aí tem aquela parte delicada, da morte... o parente morre, e antes de avisar pelo telefone os familiares, já posta lá no facebook que tá de luto! Aí o pessoal vai lá no perfil do falecido e começa as homenagens... eu quando morrer quero logo que excluam a minha conta, porque não quero nenhum fdp que mal falava comigo falando bem de mim.
E por último, as viagens! Ah, como é bom viajar, adoro! Só que a impressão que eu tive na última viagem que eu fiz foi que tem bastante gente viajando mais por status do que por prazer! Tiram fotos nos pontos turísticos pros outros, passam pelos lugares sem apreciar só para dizer para os amigos que estiveram lá... Mas e o seu prazer? Porque essa obrigação de se sentir obrigada a conhecer um lugar só porque o outro foi e disse que você não pode perder? Dicas de viagens são sempre bem vindas, quando viajo sempre busco dicas com amigos que já foram e no tio google, mas cada um tem necessidades diferentes, prazeres diferentes, vontades diferentes! Por que essa necessidade de fazer tudo igual ao que seu amigo ou seu chefe fez? Monte seu roteiro, saia do quadrado! Tire muitas fotos, mas guarde muitas lembranças e tenha muitas histórias pra contar também!
A vida está muito além de um status no facebook e de um álbum de fotografias! Experimente!


sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

"De Fé."

"Eu tenho muitos amigos
Tenho discos e livros
Mas quando eu mais preciso
Eu só tenho você
Tenho sorte e juízo
Cartão de crédito
E um imenso disco rígido
Mas quando eu mais preciso
Eu só tenho você
Quando eu mais preciso
Eu só tenho você."
[De Fé - Engenheiros do Hawaii]



sábado, 29 de novembro de 2014

Pitty me entenderia

Lembro do dia em que eu te disse, como na música Equalize da Pitty,  que até parecia que você tinha o meu manual de instruções, e você me disse no meio de risadas que tinha pego emprestado com a minha mãe. Mal sabia você que ela é uma pessoa que me conhece tão pouco. Talvez seja por isso que nossa história deu no que deu.
Nem sei se posso chamar de história, afinal, elas tem começo, meio e fim. A nossa por enquanto teve começo e meio, e no meio de tantas "delícias nesse caos", estou tentando colocar um ponto final.
Digo tentando porque vira e mexe entra um ponto de exclamação e uma reticência no meio do ponto final. Como ontem, no bar, quando começaram os primeiros acordes de Equalize e veio todo um filme na minha cabeça.
São muitas histórias, memórias, beijos ao som do mar, abraços em uma poltrona de veludo e muitas coisas pra recordar, mas, definitivamente, "eu não ficaria bem na sua estante".


sábado, 22 de novembro de 2014

"I Love The Smiths."


Quando você mudou? Quando eu mudei?
Quando o seu sentimento por mim mudou? O meu continua igual.
Quando você resolveu se afastar? Quando você decidiu não responder mais minhas mensagens nem atender as minhas ligações?
Quando você só resolveu responder meu email pra dizer que eu era uma pessoa insensível e egoísta?
Quando você resolveu soltar de vez a minha mão?
Quando você percebeu que ela era mais interessante e mais bacana que eu?
Quando você trocou o brilho do olho por essa carinha de tanto fez, tanto faz?
Eu queria dizer que torço pra que realmente você esteja feliz, mas quer saber? Foda-se! Você nunca se importou comigo, e até hoje me questiono se realmente se importa ou é conveniente pra você me ter como um plano b.
Mas quer saber? Tem uma hora que a gente cansa. E eu cansei.
Conquistei tanta coisa na minha vida, vivi tanta coisa, vi tanta coisa, que não me permito mais viver a margem. Não me permito mais ser sua formiguinha, pra viver das migalhas que você me joga de vez em quando.
Você fez as suas escolhas, não?
Pois eu vou fazer as minhas também, e entre elas está recomeçar... e desta vez sem você.

"I am human and I need to be loved
Just like everybody else does."

terça-feira, 18 de novembro de 2014

"Uma palavra amiga, uma notícia boa..."

Não sei se eu que sou louca, chata, metódica como dizem, ou as pessoas que não estão nem aí com os outros mesmo.
Qual a dificuldade de manter um diálogo? De perguntar pro outro como foi o dia, de querer saber dos seus medos, anseios.
Escuto de tanta gente que eu sou uma pessoa legal, especial, mimimi, bla bla bla, mas no fim das contas, por que será que me sinto tão sozinha?
As vezes só queria que alguém me ouvisse sem me julgar, sem medir as minhas palavras. Alguém que entendesse esse turbilhão de coisas que se passam aqui dentro.
Mas os problemas dos outros são maiores, as dores dos outros são maiores, e é tudo tão maior que eu me sinto cada vez mais diminuída.
Preciso aprender a ser mais eu sabe? Parar de me preocupar um pouco com o outro, parar pra pensar mais em mim, criar mais porcos e menos expectativas.
Estou tentando melhorar tanto sabe? Mas pelo visto a mão é única.
E no fim especial é apenas o Big Mac sem picles.

sábado, 15 de novembro de 2014

"Se acaso me quiseres, sou dessas mulheres..."

Sou dessas mulheres que gostam de batom vermelho, usar vestido com bota, que mistura doce com salgado, que adora comida japonesa e mexicana, e que troca balada pra ficar na casa de amigos jogando conversa fora.
Sou dessas mulheres que adoram organizar festas, ler, ir ao teatro, ao cinema, falar pelos cotovelos, comer sobremesa.
Sou dessas mulheres que já foram mais ciumentas e hoje em dia sabem que ninguém é de ninguém, e quem quiser ficar, fica, quem quiser ir embora, vai, e vai com Deus.
Sou dessas mulheres que adoram shows, que vai do rock a mpb, um samba de vez em quando, por que não?
Sou dessas mulheres que amam viajar, seja de avião, de carro, de ônibus. De bicicleta não, porque não sei andar. Não importa o meio de transporte, o importante é conhecer outros lugares, culturas, pessoas. Ter ótimas paisagens pra olhar e depois várias histórias pra contar.
Sou dessas mulheres sentimentais, intensas, preocupada com o próximo, com o mundo. Sou dessas mulheres que choram mais em filmes de amizade do que de amor, pois acredita que sim, a amizade é um amor que nunca morre, da muito valor aos seus amigos e agradece a Deus por ter tanta gente boa em seu caminho.
Sou dessas mulheres que ainda não encontraram seu lugar no mundo, que estão em mudança constante, que tentam sempre melhorar, que riem de si mesmas, que não deixam a criança dentro de si morrer.
Sou dessas mulheres que amam tatuagens, poá e lacinhos, que já foram mais românticas e hoje em dia tem os pés mais no chão, mas que ainda acreditam em um príncipe, nem que ele seja desencantado. Por que não?
Se acaso me quiseres, não sou dessas mulheres que só dizem sim; digo não e digo talvez, aliás, falo demais, mas falo sempre o que sinto, o que acho e o que penso. Se acaso me quiseres, prazer, sou assim.


quinta-feira, 13 de novembro de 2014

PS: Eu Te Amo

Essa vida é estranha né... tive tantas oportunidades de escrever tantas cartas pra você, te mandar tantos presentes, te falar da saudade que eu sentia e não sabia, e fui fazer isso agora, justo agora, que você não pode ser mais meu.
Aliás, ninguém é de ninguém, não é mesmo? A gente apenas escolhe jogar as cordas e se prende em alguns portos em determinados momentos da vida. Existem pessoas que ficam dias, algumas meses, outras anos e outras para a eternidade.
Nosso nó virou laço, virou nó novamente, embaraçou, e agora é um amaranhado de cordas que ainda não descobrimos como desenrolar. Uma cama de gato.
Queria ter te escrito tanta coisa, mas achei melhor não, pra não te assustar, pra não me assustar.
Queria ter dito que sinto falta do seu abraço, do seu riso bobo, da forma que você cuidava e se preocupava comigo. Queria ter dito que sinto falta da sua respiração no meu ouvido, das suas mãos nas minhas e dos chocolates. E sinto falta dos planos que foram feitos a beira do mar. Sinto falta de nós.
Sinto falta desse nós que nunca mais vai existir, mas preciso me livrar dessas amarras.






  • "O amor é isso. Não prende, não aperta, não sufoca. Porque quando vira nó, já deixou de ser laço."
  • segunda-feira, 10 de novembro de 2014

    London, London

    Há exatamente um mês, eu estava realizando meu sonho de conhecer Londres!
    Depois de um ano tão difícil, de perdas e decepções, fui conhecer o meu lugar no mundo! Sim, porque antes de conhecer, tinha a relação de "nunca te vi, sempre te amei" com Londres! E não me decepcionei. Foram poucos dias, poucos mesmo pra conhecer... na verdade foi só um tira gosto, afinal, tinha mais um monte de lugar pra conhecer. Mas eu volto, ô se volto! Pra ficar 15 dias, um mês, a vida quem sabe?


    Mas sabe o que foi o melhor nisso tudo? É que eu vi com programação da sim pra gente realizar sonhos. E vi que mesmo quando as coisas não saem como planejado, elas podem dar certo da mesma forma. E vi que as vezes é bom a gente sair do quadrado, afinal, existem triângulos, círculos e retângulos maravilhosos por aí!
    O mundo é tão grande né? Ainda tenho tanta coisa pra conhecer e ver... ainda tenho tanto o que me conhecer!