sábado, 29 de novembro de 2014

Pitty me entenderia

Lembro do dia em que eu te disse, como na música Equalize da Pitty,  que até parecia que você tinha o meu manual de instruções, e você me disse no meio de risadas que tinha pego emprestado com a minha mãe. Mal sabia você que ela é uma pessoa que me conhece tão pouco. Talvez seja por isso que nossa história deu no que deu.
Nem sei se posso chamar de história, afinal, elas tem começo, meio e fim. A nossa por enquanto teve começo e meio, e no meio de tantas "delícias nesse caos", estou tentando colocar um ponto final.
Digo tentando porque vira e mexe entra um ponto de exclamação e uma reticência no meio do ponto final. Como ontem, no bar, quando começaram os primeiros acordes de Equalize e veio todo um filme na minha cabeça.
São muitas histórias, memórias, beijos ao som do mar, abraços em uma poltrona de veludo e muitas coisas pra recordar, mas, definitivamente, "eu não ficaria bem na sua estante".


sábado, 22 de novembro de 2014

"I Love The Smiths."


Quando você mudou? Quando eu mudei?
Quando o seu sentimento por mim mudou? O meu continua igual.
Quando você resolveu se afastar? Quando você decidiu não responder mais minhas mensagens nem atender as minhas ligações?
Quando você só resolveu responder meu email pra dizer que eu era uma pessoa insensível e egoísta?
Quando você resolveu soltar de vez a minha mão?
Quando você percebeu que ela era mais interessante e mais bacana que eu?
Quando você trocou o brilho do olho por essa carinha de tanto fez, tanto faz?
Eu queria dizer que torço pra que realmente você esteja feliz, mas quer saber? Foda-se! Você nunca se importou comigo, e até hoje me questiono se realmente se importa ou é conveniente pra você me ter como um plano b.
Mas quer saber? Tem uma hora que a gente cansa. E eu cansei.
Conquistei tanta coisa na minha vida, vivi tanta coisa, vi tanta coisa, que não me permito mais viver a margem. Não me permito mais ser sua formiguinha, pra viver das migalhas que você me joga de vez em quando.
Você fez as suas escolhas, não?
Pois eu vou fazer as minhas também, e entre elas está recomeçar... e desta vez sem você.

"I am human and I need to be loved
Just like everybody else does."

terça-feira, 18 de novembro de 2014

"Uma palavra amiga, uma notícia boa..."

Não sei se eu que sou louca, chata, metódica como dizem, ou as pessoas que não estão nem aí com os outros mesmo.
Qual a dificuldade de manter um diálogo? De perguntar pro outro como foi o dia, de querer saber dos seus medos, anseios.
Escuto de tanta gente que eu sou uma pessoa legal, especial, mimimi, bla bla bla, mas no fim das contas, por que será que me sinto tão sozinha?
As vezes só queria que alguém me ouvisse sem me julgar, sem medir as minhas palavras. Alguém que entendesse esse turbilhão de coisas que se passam aqui dentro.
Mas os problemas dos outros são maiores, as dores dos outros são maiores, e é tudo tão maior que eu me sinto cada vez mais diminuída.
Preciso aprender a ser mais eu sabe? Parar de me preocupar um pouco com o outro, parar pra pensar mais em mim, criar mais porcos e menos expectativas.
Estou tentando melhorar tanto sabe? Mas pelo visto a mão é única.
E no fim especial é apenas o Big Mac sem picles.

sábado, 15 de novembro de 2014

"Se acaso me quiseres, sou dessas mulheres..."

Sou dessas mulheres que gostam de batom vermelho, usar vestido com bota, que mistura doce com salgado, que adora comida japonesa e mexicana, e que troca balada pra ficar na casa de amigos jogando conversa fora.
Sou dessas mulheres que adoram organizar festas, ler, ir ao teatro, ao cinema, falar pelos cotovelos, comer sobremesa.
Sou dessas mulheres que já foram mais ciumentas e hoje em dia sabem que ninguém é de ninguém, e quem quiser ficar, fica, quem quiser ir embora, vai, e vai com Deus.
Sou dessas mulheres que adoram shows, que vai do rock a mpb, um samba de vez em quando, por que não?
Sou dessas mulheres que amam viajar, seja de avião, de carro, de ônibus. De bicicleta não, porque não sei andar. Não importa o meio de transporte, o importante é conhecer outros lugares, culturas, pessoas. Ter ótimas paisagens pra olhar e depois várias histórias pra contar.
Sou dessas mulheres sentimentais, intensas, preocupada com o próximo, com o mundo. Sou dessas mulheres que choram mais em filmes de amizade do que de amor, pois acredita que sim, a amizade é um amor que nunca morre, da muito valor aos seus amigos e agradece a Deus por ter tanta gente boa em seu caminho.
Sou dessas mulheres que ainda não encontraram seu lugar no mundo, que estão em mudança constante, que tentam sempre melhorar, que riem de si mesmas, que não deixam a criança dentro de si morrer.
Sou dessas mulheres que amam tatuagens, poá e lacinhos, que já foram mais românticas e hoje em dia tem os pés mais no chão, mas que ainda acreditam em um príncipe, nem que ele seja desencantado. Por que não?
Se acaso me quiseres, não sou dessas mulheres que só dizem sim; digo não e digo talvez, aliás, falo demais, mas falo sempre o que sinto, o que acho e o que penso. Se acaso me quiseres, prazer, sou assim.


quinta-feira, 13 de novembro de 2014

PS: Eu Te Amo

Essa vida é estranha né... tive tantas oportunidades de escrever tantas cartas pra você, te mandar tantos presentes, te falar da saudade que eu sentia e não sabia, e fui fazer isso agora, justo agora, que você não pode ser mais meu.
Aliás, ninguém é de ninguém, não é mesmo? A gente apenas escolhe jogar as cordas e se prende em alguns portos em determinados momentos da vida. Existem pessoas que ficam dias, algumas meses, outras anos e outras para a eternidade.
Nosso nó virou laço, virou nó novamente, embaraçou, e agora é um amaranhado de cordas que ainda não descobrimos como desenrolar. Uma cama de gato.
Queria ter te escrito tanta coisa, mas achei melhor não, pra não te assustar, pra não me assustar.
Queria ter dito que sinto falta do seu abraço, do seu riso bobo, da forma que você cuidava e se preocupava comigo. Queria ter dito que sinto falta da sua respiração no meu ouvido, das suas mãos nas minhas e dos chocolates. E sinto falta dos planos que foram feitos a beira do mar. Sinto falta de nós.
Sinto falta desse nós que nunca mais vai existir, mas preciso me livrar dessas amarras.






  • "O amor é isso. Não prende, não aperta, não sufoca. Porque quando vira nó, já deixou de ser laço."
  • segunda-feira, 10 de novembro de 2014

    London, London

    Há exatamente um mês, eu estava realizando meu sonho de conhecer Londres!
    Depois de um ano tão difícil, de perdas e decepções, fui conhecer o meu lugar no mundo! Sim, porque antes de conhecer, tinha a relação de "nunca te vi, sempre te amei" com Londres! E não me decepcionei. Foram poucos dias, poucos mesmo pra conhecer... na verdade foi só um tira gosto, afinal, tinha mais um monte de lugar pra conhecer. Mas eu volto, ô se volto! Pra ficar 15 dias, um mês, a vida quem sabe?


    Mas sabe o que foi o melhor nisso tudo? É que eu vi com programação da sim pra gente realizar sonhos. E vi que mesmo quando as coisas não saem como planejado, elas podem dar certo da mesma forma. E vi que as vezes é bom a gente sair do quadrado, afinal, existem triângulos, círculos e retângulos maravilhosos por aí!
    O mundo é tão grande né? Ainda tenho tanta coisa pra conhecer e ver... ainda tenho tanto o que me conhecer!