quinta-feira, 13 de novembro de 2014

PS: Eu Te Amo

Essa vida é estranha né... tive tantas oportunidades de escrever tantas cartas pra você, te mandar tantos presentes, te falar da saudade que eu sentia e não sabia, e fui fazer isso agora, justo agora, que você não pode ser mais meu.
Aliás, ninguém é de ninguém, não é mesmo? A gente apenas escolhe jogar as cordas e se prende em alguns portos em determinados momentos da vida. Existem pessoas que ficam dias, algumas meses, outras anos e outras para a eternidade.
Nosso nó virou laço, virou nó novamente, embaraçou, e agora é um amaranhado de cordas que ainda não descobrimos como desenrolar. Uma cama de gato.
Queria ter te escrito tanta coisa, mas achei melhor não, pra não te assustar, pra não me assustar.
Queria ter dito que sinto falta do seu abraço, do seu riso bobo, da forma que você cuidava e se preocupava comigo. Queria ter dito que sinto falta da sua respiração no meu ouvido, das suas mãos nas minhas e dos chocolates. E sinto falta dos planos que foram feitos a beira do mar. Sinto falta de nós.
Sinto falta desse nós que nunca mais vai existir, mas preciso me livrar dessas amarras.






  • "O amor é isso. Não prende, não aperta, não sufoca. Porque quando vira nó, já deixou de ser laço."
  • Nenhum comentário: