domingo, 28 de dezembro de 2014

"E aprende que não importa o quanto você se importe, algumas pessoas simplesmente não se importam..."

E eu aprendi que pessoas que você acha que são super especias e amigas estão pouco se fudendo pra você. Aprendi que existem pessoas que não respeitam seus limites e seus passos, só olham para o seu próprio umbigo. Aprendi que tenho que cuidar melhor do meu joelho direito. Aprendi que abraços de algumas pessoas te trazem mais paz do que um ato ecumênico. Aprendi que homens sabem o que querem, moleques não. Aprendi que você pode perfeitamente viajar para um lugar sem falar muito bem a sua língua local, mas que seria muito melhor se você falasse. Aprendi que se pode viver um bom tempo sem roupas e sapatos novos, sem sair todo fim de semana, quando se tem um objetivo. Aprendi que posso consolar amigos com meu silêncio. Aprendi a ser mais calma e controlada (ou uma perfeita descontrolada!). Aprendi que as vezes preciso surtar. Aprendi que não preciso ir em determinados lugares para estar presentes em "compromissos sociais." Aprendi que arroz e feijão faz muita falta. Aprendi que a música salva. Aprendi que posso fazer muita coisa sozinha, que nasci sozinha e que vou morrer sozinha, e que nesse intervalo não posso ficar dependente de ninguém. Aprendi que a gente pode se transformar por pequenas coisas, e que existem pessoas que não se deixam mudar nem por grandes acontecimentos. Aprendi que posso ficar meses sem beber refrigerante sem sentir falta. Aprendi que quando não um não quer, dois não brigam, que estado civil não representa nada e que livros geralmente são as melhores companhias que se pode ter. Aprendi que a gente passa boa parte da vida correndo sem saber pra onde está indo e nem onde se quer chegar. Aprendi que não podemos ser dominados nem pelo medo nem pela ansiedade. E aprendi talvez uma das melhores lições... que a vida é agora, e o mínimo que eu posso fazer é viver cada segundo, intensamente.


Nenhum comentário: